Benzimento é um ato de fé e de afirmações que tem por objetivo a arte de curar. Observa-se que o Benzimento está presente em muitos países e culturas. No Brasil seus registros datam da época da colonização, apesar de os índios já utilizaram essa prática de benzer através de seus rituais, utilizando a sabedoria, própria do seu povo, advindas das ervas e cultos que envolviam os quatro elementos da natureza. Suas rezas eram praticadas com o intuito de curar e daí os rituais de invocação às energias de proteção.

Relatos antigos e atuais mostram a eficiência da reza no ato de curar doenças, moléstias, mal olhado, dentre outras vibrações indesejáveis e materializações de dores ou patologias diversas.

A sociedade científica atribui a eficácia do benzimento à fé, que é depositada ao Bento que cura.

A pessoa Benta é uma espécie de curandeiro. São pessoas que receberam o ensinamento da arte de benzer oralmente, reza por reza. Os bentos, curandeiros ou benzedeiros, como podem ser chamados, são pessoas que transmitem, através da oração de cura, o sentimento de perdão, ou mesmo um bálsamo de paz, às súplicas que a eles são dirigidas por pessoas que desejam se livrar de algum problema, ou mau agouro. Sendo assim, os Bentos rezam, suplicando aos seus mentores a intercessão pelas pessoas que estão necessitando desta oração. Há no benzimento uma frequência magnética que se pode atribuir de diversas formas e nomes: espiritual, fé, transmissão de pensamento, dentre outras frequências energéticas e de crença.

O magnetismo da reza, das palavras afirmativas, das vibrações espirituais, se envolve com o sentimento e desejo de curar o irmão ou a si mesmo, desde que necessitado e merecedor de cura.

Portanto, para benzer alguém ou a si mesmo basta compreender os efeitos da reza, sua prática, palavras afirmativas, estando assim envolvidas com os elementos utilizados para o exercício da cura.

Para se tornar benzedeiro não é necessário ser médium, nem tão pouco fazer sacrifícios ou iniciações.

O benzedeiro não irá contrair as mazelas dos outros no momento da reza, nem depois. Qualquer mal-estar será diluído em pouco tempo e se alguma vibração muito forte for contraída, o benzedeiro poderá fazer uma das rezas de cura para ele próprio, obedecendo aos aspectos que serão abordados no tópico Rezas e Benzimentos.

 

José Roberval

REFERÊNCIAS

 

CEPJA/CENTRO PAI JOÃO DE ANGOLA. Benzimento. Disponível em: http://www.centropaijoaodeangola.net. Acesso em: 04/03/214.

 

INSTITUTO CULTURAL SETE PORTEIRAS DO BRASIL. O Benzimento por Jorge Scritori. São Paulo, 200?

 

MENDONÇA, E. Preto-Velho e seus encantos. São Paulo: Anúbis, 2012. (Inspirado pelo africano São Cipriano).

                                                                                           

RELIGIOSIDADE POPULAR. Espinhela Caída. Disponível em: http://www.religiosidadepopular.uaivip.com.br. Acesso em: 04/03/2014.

 

SANTANA, E. (Compilação); PORTUGAL, F. (Coordenação). Orações umbandistas de todos os tempos. 4ª ed. Rio de Janeiro: Pallas, 2010.